Cogepe - Coordenação Geral de Gestão de Pessoas

O que há de mais importante na Fiocruz Adicionar o RSS

Foto: Thais Adonias

Thais Adonias

Servidora da Casa desde 2008, Thais Adonias atua na área de Enfermagem do Núcleo de Saúde do Trabalhador da Direh

Qual a sua formação?

Sou enfermeira, especializada em Enfermagem do Trabalho, porém quando me inscrevi no concurso para servidores em 2006 ainda cursava o 4º período da faculdade e, por isso, ingressei na Fundação como servidora de nível médio, para atuar como técnica de Enfermagem.

Há quanto tempo está na Fiocruz?

Ingressei em 2008, portanto há 3 anos.

Já atuou fora da Instituição? Conte-nos um pouco de sua trajetória até aqui.

Sim, foram lugares onde conquistei grande parte da minha experiência profissional: Hospital dos Servidores do Estado, onde fiquei por dois anos por um concurso de contrato temporário; Hospital do Andaraí e outros da rede privada.

E dentro da Fiocruz, sempre atuou como técnica de Enfermagem do Nust/CST?

Sim, desde que ingressei na Fundação exerço a mesma função no Nust.

Conte-nos um pouco sobre suas experiências trabalhando no Núcleo de Saúde do Trabalhador.

Na parte técnica, nossa equipe é responsável pelo acolhimento do trabalhador e classificação de risco, atendimentos de emergência e urgência, coleta de sangue, administração de medicamentos, vacinas de rotina e campanhas (principalmente em ações preventivas como a atenção aos acidentes de trabalho) e ainda cuidados mais burocráticos como a elaboração de estatísticas e o controle do Almoxarifado.

Mas além dos trabalhos de rotina, sabemos que trabalhar no Nust acaba ganhando significados mais amplos. Fale um pouco sobre essa experiência.

Costumo dizer que antes de tudo, atendemos nossos colegas de trabalho. Portanto, trabalhar no Núcleo de Saúde abrange desde o contato com o trabalhador e sua orientação até a troca de conhecimento, o que torna nossa rotina gratificante.

Tem alguma situação marcante, que tenha vivido aqui e que possa nos contar?

São muitas. Mas um momento marcante que tive aqui foi a primeira Edição do “Fique Sabendo”*, em Dezembro de 2008, um desafio totalmente novo. Tínhamos um curto prazo para prepararmos e recebermos os trabalhos e, por isso, ficou a critério da equipe coloca-lo ou não em prática. Mas foi exatamente naquele evento que o Nust mostrou sua capacidade de exercer um trabalho inovador e uma satisfatória integração da equipe.

*O Fique Sabendo é uma ação realizada desde 2008, na semana do Dia Mundial da Luta contra Aids, em parceria com Biomanguinhos, que oferece orientações e cuidados em relação às Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e possibilita testagem rápida de HIV para os trabalhadores da Fiocruz. O resultado fica pronto em 15 minutos.

Quais são suas expectativas futuras no trabalho aqui na Fiocruz?

Espero muita coisa! Primeiramente, que haja uma reformulação da proposta de atendimento do Nust, para que possamos avançar na conquista de uma identidade na vigilância em Saúde do Trabalhador e que, assim, consigamos um reconhecimento, que é a Acreditação.

O que a Fiocruz representa para você?

Um sonho, um desafio! Porque até algum tempo era realmente um sonho.  Passava em frente ao campus e ficava me perguntando como seria trabalhar aqui. E hoje, com essa realização, vivo o desafio de participar da história da Fundação e conquistar a cada dia uma valorização pessoal, profissional e, claro, institucional.  Além do mais, a Fiocruz representa a minha satisfação em trabalhar com uma equipe maravilhosa, que faço questão de agradecer e admirar sempre.

Entrevista publicada em 27.10.2011 - Foto: Comunicação - Direh
Fundação Oswaldo Cruz - Coordenação Geral de Gestão de Pessoas Av. Brasil, 4365 - Pavilhão Figueiredo de Vasconcelos/ Sala 215 Manguinhos - Rio de Janeiro - RJ CEP: 21040-360 Tel: (21) 3836-2200/ Fax: (21) 3836-2180

Ver mapa